Gestão 2004/2008 - Diretor Nelson Pretto e Vice Mary Arapiraca

Faculdade de Educação da Ufba tem nova diretoria

 

(retirado do jornal A TARDE)

domingo, 08/01/2000 - página 02

 

  Os professores Nelson Pretto e Mary Arapiraca serão empossados na próxima quarta-feira como diretor e vice-diretora da Faculdade de Educação (Faced) da Universidade Federal da Bahia. Pretto, que substitui a professora Iracy Picanço, iniciou sua carreira em 1979 como professor do Instituto de Física da da Ufba. Com pós-doutoramento na Universidade de Londres, Inglaterra, é doutor em comunicação pela Universidade de São Paulo e autor, entre outros, dos livros “Uma escola sem/com futuro: educação e multimídia” e “Globalização & Educação”.
  O novo diretor da Faced já foi assessor do reitor da Ufba, diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep/MEC) e superintendente de Projetos Especiais da Fundação Centro Brasileiro de Televisão Educativa (Funtevê), no Rio. Atualmente coordenador da Biblioteca Virtual de Educação a Distância, um projeto do Prossiga/CNPq, Pretto também foi diretor do Sindicato dos Professores no Estado da Bahia (Sinpro-BA).
  Já a vice-diretora da Faced é professora da Faculdade de Educação desde 1979, tendo doutorado e mestrado em educação pela Ufba. Mary Arapiraca é especialista em aquisição e ensino da língua materna e coordena o Projeto de Educação nos Assentamentos da Reforma Agrária (Pronera/BA) e o Programa Alfabetização Solidária na Ufba.
 
Planos
 
  O principal projeto para a faculdade, segundo o novo diretor, é “deixá-la sem rumo”. Segundo ele, “uma escola não pode ser um bloco monolítico onde todos andem igualmente. Estaremos nos próximos quatro anos trabalhando em torno das pedagogias da diferença, que respeitam e buscam fortalecer a diversidade dos seres humanos”. Pretto destaca a necessidade de uma maior aproximação da Faced com as demais faculdades de educação da Bahia e, principalmente, com as fundações, ONGs, associações e sindicatos que realizam projetos educacionais no estado.
  O maior orgulho da professora Iracy Picanço em seus quatro anos à frente da Faced foi a recuperação física da unidade. Além disso, a instituição agora dispõe de salas de educação física e musculação e uma biblioteca renovada e informatizada. Convênios com instituições públicas e fundações permitiram ações como as desenvolvidas no Centro Educacional Santo Antônio, em Camaçari. Ampliando o campo de educação de adultos, foram realizados esforços com o Sesi-Senac, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.
  A Faced se fez presente nos eventos educacionais do país e recebeu o Encontro de Pesquisa em Educação do Nordeste. Iracy Picanço destaca o incentivo a cursos de especialização e pós-graduação e o impulso à participação de estudantes nas ações universitárias. A revista “Faced”, criada pela educadora, passa a ser editada semestralmente, trazendo os trabalhos dos pesquisadores da faculdade.

 

 

Ano: 
Tipo de Documento: 
Tipo de posse: 
Imprensa

Mary de Andrade Arapiraca - Vice- Diretora

 

Discurso de Posse

 

Salvador, 12 de janeiro de 2000.

Sinto-me comprometida com todas as intenções expressas no discurso de Nelson de Lucca Pretto, nosso colega e companheiro, o qual traduz o momento da FACED e grande parte do seu projeto coletivo, iniciado e, de certo modo, em curso há algum tempo com o concurso de muitos.

 

Há sempre propósitos para cada instante, por isso gostaria de aproveitar este, para afirmar as coisas simples que elegi para ficar atenta durante esses próximos quatro anos:

 

A primeira delas é alegria no coração que amplia cada momento de nossa existência.

 

A segunda é a paciência, aquela paciência pedagógica que nos permite pegar enxergar ouvir e saborear, com conceitos e sem (pré)conceitos a riqueza dos encontros e desencontros de cada qual em seu cotidiano.

 

A terceira é a firmeza e a quarta, a perseverança.

 

A quinta, tomada de empréstimo de Ítalo Calvimo em suas propostas para o próximo milênio, agora bem mais próximo, é a leveza. "Cada vez que o reino do humano me parece condenado ao peso, digo para mim mesmo que à maneira de Perseu eu devia voar para outro espaço. Não se trata absolutamente de fuga para o sonho ou o irracional. Quero dizer que preciso mudar de ponto de observação. Que preciso considerar o mundo sob uma outra ótica, outra lógica, outros meios de conhecimento e controle. As imagens de leveza que busco não devem, em contato com a realidade presente e futura, dissolver-se como sonhos..." É assim que pensa Calvino e para mim é como se o milênio se abrisse a essa necessidade, pedisse isso.

A disposição para servir nos coloca nessa diretoria no momento e, aproveitando o ensejo pediria permissão a todos os presentes para dedicar este instante homenageando uma professora e dois professores - Eugênia Lúcia Néri, Juscelino Barreto dos Santos e José Oliveira Arapiraca - os quais tiveram particular influência em minha formação político-pedagógica e com suas histórias conseguiram demonstrar para min não, tenho certeza para muitos de nós, que a vida pode ser curta, mas não pequena.

Mary de Andrade Arapiraca

 

Ano: 
Tipo de Documento: 
Tipo de posse: 
Discursos

Nelson Pretto - Diretor

 

Discurso de Posse

 

CONstRUINndo UMa esCOLA sem RUmo.

assumindo o desafio

por Nelson Pretto

 


procuro também enfatizar a ambigüidade essencial de todos os conceitos, imagens e noções que pressupõem mudança. Sem ambigüidade não há mudança, nunca.

paul feyerabend. matando o tempo

 

 

Desde o começo de minha vida profissional sempre estive envolvido com as questões da educação. Comecei alfabetizando adultos com o método Paulo Freire, em Cosme de Farias, quando tinha cerca de 15 anos de idade. Depois, como professor de física do segundo grau em diversos colégios de Salvador, ainda estudante de graduação no Instituto que, mais tarde, me acolheu como professor. Na licenciatura, a aproximação com a Faculdade de Educação e, especialmente, com um professor que sempre foi meu mestre e hoje é meu colega de Departamento: Luiz Felippe Serpa. Dele fui assessor durante sua gestão aqui nesse palácio. Numa de nossas cotidianas conversas bem recentemente - coisa que achamos fundamental para a vida universitária! – recordamos um autor e um livro: Carlos Rodrigues Brandão e A questão política da educação popular. Ambos muito famosos na década passada entre os educadores. Vivíamos o boom da educação popular. Na introdução, Brandão, usou a fala do lavrador Antônio Cícero de Souza, ou simplesmente Ciço, que na conversa com Felippe, chegamos a suspeitar não ter existido. A frase existe e, se esse lavrador, existiu ou foi um constructo de Brandão, pouco importa. Galileu também montou um projeto de mundo em cima de experiências que, dizem, nunca foram feitas. Pouco importa novamente. São essas criações que sustentam algumas teorias e que são fruto de imaginações - ou não! - que fazem do ato de pensar e produzir conhecimento a coisa mais rica que temos. E Ciço falava sobre educação e dizia com todas as letras:




O senhor me faz a pergunta com jeito de quem já sabe a resposta. Mas eu explico assim. A educação que chega pro senhor é a sua, é pros usos do seu mundo. Agora, a minha educação é a sua. Ela tem saber de sua gente e ela serve pra que mundo? Não é assim mesmo? [conclui Ciço]

 

Pois vejam o que aconteceu ontem a noite: encontrei o Ciço navegando na Internet e com ele dialoguei numchat. Perguntando se se lembrava o que tinha dito naquela época sobre educação fui surpreendido com a atualização de seu comentário.




ôô moço, como vô esquecê... as coisas tão tudo igual... continuamos tendo a sua educação. Só que agora, os home ainda pede prá gente fazê prova na saída prá vê se aprendeu a sê iguá a ocês...é um tal de ser A que não consigo entende!

 

É num contexto como o esboçado por Ciço que assumimos a direção da Faculdade de Educação de uma Universidade como a Federal da Bahia.

A história dessa Faculdade tem muito a ver com o ensino das ciências, minha origem. Mas ela vai muito além. Desde o seu inicio, como parte da Faculdade de Filosofia, em Nazaré - e já se vão 30 anos - até os atuais dias de hoje, muita coisa mudou. Muita coisa está mudando. E, por isso mesmo, a mudança de direção que agora acontece, não pretende ser uma simples alternância de poder mas a disposição de coordenar o processamento coletivo de rumos. Em outras palavras, é a tentativa de introduzir uma nova direção - não um novo diretor! - mas, uma nova direção, sem rumo. E isso não cabe somente a nós, e agora aqui o plural é muito mais plural, porque essa tarefa não é somente minha e de Mary Arapiraca, a vice diretora, mas de todos os professores, professoras, servidores, servidoras e estudantes, que acreditaram na possibilidade de uma faculdade com um concurso de rumos. A idéia - proclamada em todos os nossos papeis e bits - é a de buscar definir para a Faculdade um programa mais amplo do que o de uma gestão. É a construção de um projeto maior que seja fundado no singular e no plural, e que suspeite das tradicionais pedagogias da assimilação. Um projeto que se encaminhe para a formação de profissionais ligados simultaneamente às realidades planetárias e locais. Um projeto que esteja olhando para as diferenças e os diferentes sem a preocupação de nivelá-los. Em síntese, um projeto estimulador de atuações sociais, de rebeldias.

Nossa Faculdade merece uma inserção maior no cenário nacional. A experiência de formar professores para quase todas as áreas tem nos dado e possivelmente continuará a nos dar, fôlego para uma participação mais vigorosa contra esse governo que insiste em tirar das Universidade Públicas a responsabilidade de formar os professores dos níveis iniciais e introduz os Cursos Normais Superiores, criticados por muitos mas que tem dentro da própria Faculdade os seus defensores. Isso é bom, o debate pode e deve começar internamente mesmo, como forma de fortalecimento da participação da sua diretoria nos fóruns locais e nacionais. Essa diferença deve ser o estímulo para que acertemos o passo com as outras universidades que são atuantes nesse embate.

Ao mesmo tempo, precisamos estar mais articulados com as questões da Educação em nosso Estado e na nossa própria Universidade. A problemática dos Cursos Normais Superiores, por exemplo, é mais abrangente do que se possa imaginar e diz respeito à todas as licenciaturas. Ultrapassa, portanto, os muros da Faculdade de Educação. O Enem e o provão estão aí, gerando conflitos, introduzindo um novo elemento na discussão sobre a qualidade da educação. Nossa Universidade vai as ruas propalando um curso nota A através do uso ousado e correto da mídia com os outdoors. Tem sentido entrarmos nesse jogo? O que significa Direito em um ano ser E e, no seguinte, ser A? Apenas a presença dos alunos às provas? E isso é motivo de orgulho para uma administração? Onde está a Faculdade que pesquisa, atua na sociedade e ensina esse campo chamado educação e mais particularmente a avaliação? Nossa postura é ainda muito tímida. Não por culpa de pessoas ou administrações. Mas por falta de uma atuação nossa mais agressiva. Nós que atuamos na área e que precisamos apresentar para a sociedade - mesmo que estejamos aqui a se referir apenas internamente à Universidade - outras possíveis leituras sobre cada uma das questões que estão sendo pautadas na mídia para a nossa área. No particular da avaliação das universidades, com o conhecido provão, creio que vale a citação, retirada de um importante meio de ligação do nosso sistema público de pesquisa e ensino que é o Jornal Eletrônico da Ciência, mantido pela SBPC, na qual a professora Angela de Siqueira, da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (UFF), não esperou e, em tom afirmativo, tocou em questões fundamentais. Ela interpretou o sentimento de muitos de nós, especialmente quando afirma:




(...) acreditar que é um teste capaz de avaliar esta rede de relações complexas, toda diversidade de conhecimentos, experiências, historias de vida, interesses, objetivos, é no mínimo também ingenuidade, miopia acadêmico-burocratica ou funcionalismo oportunista.
Tal visão, retira a responsabilidade sobre o processo como um todo -- que é social, político, cultural -- e "culpa" as partes: alunos, professores, projeto pedagógico etc. pelo insucesso no teste, visto como capaz de avaliar o "produto". [Jornal da Ciência, JC E-Mail 1446, de 20/12/99]

 

Usar as palavras de uma colega de outra Universidade tem um duplo significado nesse momento. De um lado, reforçar a idéia de uma postura crítica e atuante que precisamos ter em relação às temáticas que são próprias de nossa área e que estão sendo usadas e propaladas como salvadoras de um sistema que, em verdade, não está preocupado com a sua melhoria. De outro, reforçar a necessidade de uma forte articulação com a mídia, seja ela a grande mídia, seja aquela que nasce como fruto da presença das novas tecnologias da comunicação e informação, criando novos espaços de produção simbólica. Área importante de pesquisa no campo educacional, a presença das tecnologias está sendo considerada por nós como elemento fundante dessa nova etapa para a Faculdade - uma faculdade de e-educação - com essa letra [é] de eletrônico, como já vem sendo usada e visto por todos em outras áreas. Isso não será apenas um recurso de linguagem. É a idéia de que essas tecnologias passem a ser efetivamente esse elemento fundante dos processos educacionais. Com isso, imaginamos passar a ter um uso intensificado dessas tecnologias na Faculdade - talvez até tardiamente! - e como conseqüência quase que natural, estaremos nos engajando - espero! - de forma mais intensa nos programas de educação a distância que a UFBA está tentando implantar. Ao tempo, passaremos a definir internamente uma política agressiva que articule a educação com as novas tecnologias. Isso passa pela imediata disponibilização dos nossos cursos na WEB, na execução de cursos semi-presenciais e a distância, de graduação, extensão e pós-graduação. Mas, ao fazer isso, não estamos pensando em simplesmente reproduzir o que por lá já temos. Precisaremos ter uma forte articulação entre o que se pesquisa na área e o ensino e entre tudo isso e as grandes questões nacionais e, até, globais. Ter mais ousadia não nos fará mal! Referimo-nos aqui, mais especificamente, ao projeto de Sociedade da Informação, lançado em dezembro no ano passado pelo Presidente da República, projeto esse que tem no desenvolvimento científico e tecnológico um de seus pilares básicos tendo na educação, uma das áreas mais privilegiadas em termos de aplicações. Como estaremos nos inserindo num programa como esse? Será que isso não nos diz respeito?!

Internamente, buscaremos intensificar a postura de colaboração e interação com as demais unidades e com a administração central, sem que isso signifique uma participação passiva. A presença da Faculdade nos Conselhos Superiores e nas relações com as demais unidades e administração central, deverá se encaminhar para a qualificada defesa desse patrimônio público que é a nossa Universidade Federal da Bahia. Patrimônio construído ao longo dos 50 últimos anos, que teve na figura de Edgar Santos o seu grande baluarte.

O momento é de crise. Mas o ano que se inicia é o ano do Dragão. Um símbolo que representa o dinâmico, o criativo, no horóscopo chinês. Momentos de crise me fazem sempre lembrar das possibilidades de superar as dificuldades. Isso me leva a buscar em Nildão, um dos grandes cartunistas baiano, a melhor definição para este momento.

Ôba!

Temos pela frente, nessa teia de relações que estarão sendo criadas, uma oportunidade singular: fortalecendo cada nó, fortalecendo cada indivíduo ou grupo, estaremos fortalecendo o todo, mas não um todo uníssono. Estaremos fortalecendo um conjunto de elementos singulares, que na dinâmica das interações estarão transformando e se transformando, fortalecendo identidades - individuais e/ou coletivas - a partir das semelhanças e diferenças. Em última instância, perseguiremos fortalecer iniciativas e estimular rebeldias.

Uma Faculdade sem rumo. Quer dizer, com muitos rumos. Com todos os rumos. Uma Faculdade viva, alegre, intensa, que atue de forma simultânea no distante e no próximo, no depois e até mesmo no antes, tudo, ao mesmo tempo, aqui e agora, como dizem os Titãs. Convocados estamos, convocando também, para, com as nossas mãos fazer uma Faculdade onde todos e cada um de nós viva intensamente o seu cotidiano, montando um grande espaço acontecimental de aprendizagem.

Lembro de todos os outros espaços não tradicionais de aprendizagem, como tantos que temos nessa Bahia tão rica. Lembro também de outros, fora da Bahia, como a Escola de Samba de Mangueira, que está construindo um grande banco de dados para trabalhar a sua memória. Na contra capa do belíssimo Chico Buarque de Mangueira, um disco que inaugura oficialmente o tão sonhado Centro de Memória da Estação Primeira, Hermínio Bello de Carvalho é categórico: "escavucar a memória, provocar registros, buscar documentação. Aprender a Mangueira, para ensiná-la depois. Escola foi feita para isso."

Escola foi feita pra isso. E para muito mais. E será. Por quê não?!

Que Oxóssi me proteja.

Que o Senhor do Bonfim, proteja a todos nós, nessa São Salvador da Bahia, de todos os santos e orixás.

Muito obrigado.

 

Ano: 
Tipo de Documento: 
Tipo de posse: 
Discursos

Ata da reunião de 12/06/2006

Ata da reunião de 12/06/2006
Sessão extraordinária da Congregação da Faced.

Ata da sessão extraordinária da Congregação da Faculdade de Educação do dia 12 de junho de 2006

Aos doze dias do mês de junho de dois mil e seis, às quinze horas e quarenta minutos, foi realizada na Sala Iguape, a sessão extraordinária da Congregação da Faculdade de Educação da UFBA, com o objetivo de discutir a seguinte pauta: Eleição do representante titular junto ao CONSEPE; homologação das bancas referentes aos concursos públicos para docentes; homologação do pedido de “DE” - processos referentes às Professoras Disalda Mara Teixeira Leite e Lícia Maria Freire Beltrão; relações interpessoais, presenciais e virtuais no espaço institucional. A reunião foi aberta pelo Presidente, Professor Nelson Pretto, que iniciou a discussão do primeiro item da pauta, gerando vários questionamentos dos presentes, passando pela legislação existente a respeito da escolha dos representantes da Unidade junto ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE), que pouco fala sobre o assunto, quando o Professor Kleverton Bacelar leu o artigo quarenta e um, item treze, do Estatuto da UFBA, que fala sobre o titular e suplente. Dando continuidade às considerações, o Professor Nelson Pretto apresentou duas alternativas: continuar com a Professora Maria Cecília de Paula Silva, na suplência, desde o dia treze de maio de dois mil e cinco, até vencer o período de dois anos, ou proceder à escolha do titular e suplente, em substituição à Professora Theresinha Miranda, com mandato já vencido e ainda com prorrogação por trinta dias. A Professora Iracy Picanço falou da possibilidade da suplente tomar lugar do titular, uma vez vencido o seu mandato. Não sendo isto respaldado em lei, chegou-se à conclusão que a suplência encerraria com o mandato do titular. Assim, o Professor Nelson Pretto pediu que os membros apresentassem nomes de docentes para a eleição. A Professora Mary Arapiraca indicou o nome do Professor Roberto Sidnei Macedo, para titular e o Professor Ney Santos, em nome do Departamento de Educação Física, apresentou a chapa Roberto Sidnei Macedo, como Titular, e a Professora Maria Cecília, como Suplente. O estudante Rafael Bastos, em nome da representação estudantil, indicou  a Professora Maria Cecília de Paula para Titular. Em seguida, a representante dos servidores, Rosemary Sampaio apresentou os nomes das professoras Maria Inez Carvalho, para titular e Maria Roseli Brito de Sá, para suplente. Em seguida, o Professor Kleverton Bacelar, em nome do Departamento de Educação I, indicou o nome da Professora Márcia Pontes, como titular e apoiou o nome da Professora Cecília, como suplente. Após considerações dos presentes, no tocante aos nomes apresentados, a Professora Maria Cecília falou que concordava com a indicação da chapa com o Professor Roberto Sidnei, e os representantes estudantis retiraram a indicação da professora para Titular e indicaram-na para Suplente. O Professor  Kleverton Bacelar retirou a indicação do nome da Professora Márcia Pontes e manteve o apoio à Professora para Suplente. Continuando, o Presidente instalou a eleição, convidando a Professora Iracy Picanço para fazer o escrutínio dos votos, ficando assim os resultados: Chapa Roberto Sidnei/Maria Cecília de Paula - dez votos. Chapa Maria Inez Carvalho/Maria Roseli Brito – dois votos. Após os resultados, os eleitos agradeceram a indicação e votação, quando o Professor Roberto Sidnei fez uma explanação sobre a forma de atuação na próxima gestão. Pedindo a palavra, a estudante Maiane Rosa dirigiu-se aos novos representantes lembrando de um diálogo constante que deverá ter continuidade com a representação estudantil. Passando para o segundo item, procedeu-se à homologação das bancas dos concursos. O Professor Ney Santos fez a apresentação da lista com oito nomes para o concurso do Departamento de Educação Física, ficando assim aprovada: Da Universidade Federal da Bahia: Pedro Rodolpho Jungers Abib – Titular, Maria Cecília de Paula Silva – Suplente. De outras instituições: Antônio Carlos de Morais – Titular (UFES) e Victor de Andrade Melo – Titular (UFRJ), Carlos Fernando Ferreira da Cunha Júnior – Suplente (UFJF). Invertendo a ordem da pauta, o Professor Roberto Sanches pediu que fossem logo apreciados os processos referentes ao pedido de Dedicação Exclusiva das Professoras Lícia Beltrão e Disalda Leite. Havendo concordância, o Presidente leu os Pareceres sobre o assunto, aprovados pelo Departamento de Educação II, datados de vinte e dois de fevereiro de dois mil e seis, e de dezesseis de fevereiro do mesmo ano. Colocados em discussão, foram homologados por unanimidade. Depois foi feita a apresentação dos nomes para a composição da banca do concurso no Departamento II, ficando assim aprovada: Da Universidade Federal da Bahia: Sérgio Coelho Borges Farias – Titular, Dante Augusto Galeffi e Cristina Maria d’Ávila Teixeira – Suplentes. De outras instituições: Ana Mae Barbosa – Titular (USP), Lúcia Gouvêa Pimentel – Titular (UFMG) e Isa Trigo – Suplente (UNEB).Antes de retirar-se da reunião,a Professora  Theresinha Miranda foi homenageada por todos os presentes,pelo trabalho dedicado à frente da representação junto ao  CONSEPE, por mais de dois anos.Não havendo mais quorum, o item quatro foi transferido para a próxima reunião ordinária. Assim, o Presidente encerrou a reunião; e eu, Álvaro Cardoso de Souza, Secretário da Congregação, redigi esta Ata, que depois de datada, será assinada por mim e pelos membros presentes. Salvador, 12 de junho de 2006.

Ano: 
Tipo de Documento: 
Descrição : 
Sessão extraordinária da Congregação da Faced.

Ata da reunião de 03/08/2006

Ata da reunião de 03/08/2006
Homologação dos resultados do concurso para docentes – Departamento I

Ata da sessão extraordinária da Congregação da Faced do dia 03 de agosto de 2006, para homologação dos resultados do concurso para docentes. – Departamento I

Aos três dias do mês de agosto de dois mil e seis, às quinze horas, no Auditório I, na presença da Congregação da Faculdade de Educação da UFBA, foi realizada a reunião para homologação dos resultados do concurso público para docentes do Departamento de Educação I – Professor Adjunto (DE). Tomaram parte da mesa os professores Roberto Sidnei Macedo (Presidente) UFBA, Margareth Diniz (UEMG) e  Marcelo Ricardo Pereira (UFMG), componentes da Comissão Julgadora para o concurso nesse Departamento.A sessão foi iniciada pelo Professor Marcelo Ricardo, que falou sobre a sistemática de apresentação dos resultados, convidando o Professor Roberto Sidnei, que começou a leitura do parecer referente à candidata Ana Rita Silva Almeida Chiara, conferindo notas aos itens do concurso: prova de títulos, prova didática e defesa de memorial. Para a prova didática, o ponto sorteado para a candidata foi o de número dois: “ Educação Infantil numa perspectiva histórica”.Procedendo de igual modo, os demais integrantes da banca apresentaram seus pareceres. Continuando a divulgação dos resultados, foram lidos os pareceres pela ordem dos componentes da banca e dos demais candidatos, assim relacionados: Félix Marcial Diáz Rodriguez, sorteado com o ponto de número cinco: “A psicologia sociohistórica e as suas contribuições sociointeracionistas para o processo pedagógico”. Lúcia Vaz de Campos Moreira, sorteada com o ponto de número cinco: “A psicologia sociohistórica e as suas contribuições sociointeracionistas para o processo pedagógico”. Luisa Helena Albertini P. Trombeta, sorteada com o ponto de número nove: “O caráter integrado das aprendizagens escolares: aprendizagem de conteúdos, aprendizagem de procedimentos e a aprendizagem de atitudes, valores e normas em pré-escolas e em séries iniciais do ensino fundamental”. Luiz Antonio de Oliveira e Araújo, com o ponto de número sete: “ A psicanálise e as suas contribuições para a interpretação do ato pedagógico”, e Tatiane Lebre Dias, sorteada com o ponto oito: “ Educação infantil: reflexões filosóficas e epistemológicas”. Foi registrada a ausência do candidato Nilson Fernandes Dinis. Depois, o Professor Marcelo Ricardo leu o Relatório Final, e em seguida, o Parecer Final, registrando publicamente o nome do Professor Félix Marcial Diáz Rodriguez, indicado para a vaga existente no Departamento de Educação I, na matéria Psicologia e Educação Infantil, não havendo registro de segunda nem terceira indicação. Em seguida, o Professor Nelson Pretto submeteu os resultados do concurso à apreciação da Congregação; não havendo nenhuma interferência, procedeu-se à homologação. Agradeceu os componentes da Comissão Julgadora, em nome da direção,e parabenizou o candidato indicado, fazendo  referência ao trabalho da Comissão Organizadora do Concurso. Depois, o Professor Roberto Sidnei Macedo elogiou o trabalho realizado ao lado dos colegas da UEMG e UFMG. Não havendo mais outro assunto a ser tratado, o Presidente da Congregação encerrou a sessão, e eu, Álvaro Cardoso de Souza, secretário da Congregação, redigi esta Ata, que depois de lida e aprovada, vai assinada por mim e pelos presentes. Salvador, 03 de agosto de 2006.

Ano: 
Tipo de Documento: 
Descrição : 
Homologação dos resultados do concurso para docentes – Departamento I

Ata da reunião de 01/06/2006

Ata da reunião de 01/06/2006
Sessão extraordinária da Congregação da Faced.

Ata da sessão extraordinária da Congregação da Faced do dia 01 de junho de 2006.

Ao primeiro dia do mês de junho de dois mil e seis, às quinze horas e trinta minutos, na Sala Iguape, reuniram-se os membros da Congregação da Faculdade de Educação da UFBA, com o objetivo de continuar a discussão para homologação dos pontos para o concurso no Departamento de Educação Física. O Professor Nelson Pretto iniciou os trabalhos, fazendo  referência à reunião anterior, quando pediu aos presentes todo empenho no sentido de agilizar a aprovação desses pontos, tendo em mira os prazos para publicação.Também participaram da reunião quatro estudantes do DA de Educação Física.Prosseguindo, o Professor José Ney Santos, Chefe do Departamento de Educação Física, explicou as razões pelas quais não participou da sessão anterior, em trinta e um de maio de dois mil e seis e leu a ementa referente à matéria do concurso, no intuito de melhor

contribuir para a continuação dos questionamentos. Depois, a Professora Cecília de Paula Silva propôs que as discussões fossem direcionadas a partir do ponto número seis, cuja reformulação foi iniciada anteriormente. Em seguida, iniciou-se uma ampla discussão em torno desse assunto, mediante o registro de contribuições e encaminhamentos na busca de um entendimento unificado dos integrantes da Congregação. Finalmente foram reformulados os pontos número um, dois, três, quatro, seis e nove. O Presidente da Congregação fez a leitura dos pontos referentes à matéria Pedagogia da Educação Física, Esporte e Lazer, para a classe de Professor adjunto, ficando assim colocados: Abordagens históricas da educação física, esporte e lazer no Brasil; Políticas públicas da educação física, esporte e lazer: balanço crítico; Educação física, esporte e lazer na formação humana; Currículo e projeto político-pedagógico da Educação física, esporte e lazer; Produção do conhecimento na formação de professores de educação física, esporte e lazer; Práticas de ensino e áreas de atuação profissional em educação física, esporte e lazer; O pensamento pedagógico da educação física, do esporte e do lazer; Educação física, esporte e lazer na perspectiva da saúde; O trabalho docente no campo da educação física, esporte e lazer; Educação física, esporte e lazer e movimentos sociais. Homologados os pontos, o Professor Nelson Pretto encerrou a sessão; e eu, Álvaro Cardoso de Souza, lavrei esta Ata, que vai assinada por mim e pelos presentes. Salvador, 01 de junho de 2006.

Ano: 
Tipo de Documento: 
Descrição : 
Sessão extraordinária da Congregação da Faced.

Ata da reunião de 04/08/2006

Ata da reunião de 04/08/2006
Homologação dos resultados do concurso para docentes – Departamento II

Ata da sessão extraordinária da Congregação da Faced do dia 04 de agosto 2006, para homologação dos resultados do concurso público para docentes –Departamento de Educação II

Aos quatro dias do mês de agosto de dois mil e seis, às catorze horas e vinte minutos, no Auditório I, na presença da Congregação da Faculdade de Educação da UFBA, foi realizada a reunião com o objetivo de homologar e divulgar os resultados do concurso público para docentes do Departamento de Educação II, Professor Assistente (DE). A mesa foi composta pelas  professoras Cristina Maria  D’Ávila Teixeira (Presidente) – UFBA, Lucia Gouvêa Pimentel (UFMG) e Isa Maria Faria Trigo (UNEB), membros da Comissão Julgadora para esse Departamento.A   reunião foi aberta pela Professora Cristina D’Ávila, que leu o seu parecer e conferiu notas referentes ao candidato Armando Alexandre Costa de Castro, considerando os itens do concurso: prova de títulos, prova escrita, prova didática e defesa de memorial. O ponto sorteado para a prova escrita foi o de número sete: “Ensino de arte e diversidade cultural brasileira”, para todos os candidatos. Para a prova didática, o ponto sorteado para este candidato foi o de número quatro: “A formação do professor de arte e a arte como componente da arte-educação”.  Em seguida, as duas integrantes da banca procederam de igual modo. Pela ordem das examinadoras, e dos candidatos, procedeu-se à continuação da leitura dos pareceres e notas dos demais candidatos. “Clairton Quintela Soares, sorteado com o ponto sete, já transcrito nesta Ata; Eliana Gomes Pereira Pougy, sorteada com o ponto seis: “Pesquisa em arte-educação: opções teórico-metodológicas”; Jean Joubert Freitas Mendes, sorteado com o ponto dez: “ A avaliação no processo de ensino-aprendizagem de arte”; Marcílio Rocha Ramos, sorteado com o ponto de número dez, já transcrito nesta Ata; Marília de Pádua Carvalho Dantas, sorteada com o ponto nove: “ Parâmetros e diretrizes curriculares para a arte-educação na educação básica”; Rilmar Lopes da Silva, com o ponto dois: A leitura da obra de arte como componente da arte-educação”. Após a chamada dos candidatos, foi registrada a ausência das candidatas Ana Lúcia Siqueira de Oliveira Nunes, Daniela Galdino Nascimento e Urânia Auxiliadora S. M. de Oliveira. Continuando a reunião, a Professora Lucia Gouvêa fez a leitura do Relatório Final e, logo após, a Professora Cristina D’Ávila leu o Parecer Final, que anunciou o nome da Professora Rilmar Lopes da Silva, indicada para preencher a vaga existente no Departamento de Educação II, na matéria Arte-Educação, e do Professor Jean Joubert Freitas Mendes, como o segundo indicado. Em seguida, o Professor Nelson Pretto colocou os resultados à apreciação da Congregação, sendo então homologados. Agradeceu à Comissão Julgadora, deu as boas-vindas à Professora Rilmar Lopes, ressaltando também o trabalho da Comissão Organizadora do Concurso. Falaram ainda as integrantes da banca, registrando o contentamento pela participação no concurso e pela integração e lisura no andamento dos trabalhos. Assim, o Presidente da Congregação encerrou a sessão, e eu, Álvaro Cardoso de Souza, redigi esta Ata, que após leitura e aprovação, vai assinada por mim e pelos presentes. Salvador, 04 de agosto de 2006.

Ano: 
Tipo de Documento: 
Descrição : 
Homologação dos resultados do concurso para docentes – Departamento II

Ata da reunião de 26/04/2006

Ata da reunião de 26/04/2006
Sessão extraordinária da Congregação da Faced.

 

Ata da sessão extraordinária da Congregação da Faced, do dia 26 de abril de 2006.

 

Aos vinte e seis dias do mês de abril de dois mil e seis, às onze horas, na Sala de Reunião Iguape, foi realizada a sessão extraordinária da Congregação da Faculdade de Educação da UFBA, com o objetivo de homologar as matérias dos concursos públicos para docentes, nos Departamentos de Educação I, II e de Educação Física. A sessão foi presidida pela Professora Mary Arapiraca, que iniciou os trabalhos falando sobre a pauta da reunião, quando, em seguida, fez a leitura das matérias apresentadas pelos departamentos. O Departamento de Educação I, conforme Edital 06/2006, apresentou duas matérias: Psicologia e Educação Infantil e Organização da Educação Brasileira e Educação de Jovens  e  Adultos, com uma vaga para cada, titulação exigida doutor, para a classe de Professor adjunto, e com regime de trabalho DE. Uma vez colocadas em discussão, o Professor José Wellington Aragão teceu algumas considerações no tocante à deliberação e aprovação dessas matérias pelo pleno do Departamento de Educação I. Falando  sobre Psicologia e Educação Infantil enfatizou a demanda na licenciatura, a carga horária utilizada e a ocupação de quatro professores substitutos  no Departamento;  levando também em consideração as vantagens advindas dessa junção. De igual forma, falando sobre Organização da Educação Brasileira e Educação de Jovens e Adultos, lembrou da carência e da demanda existentes e ainda considerando a aprovação das novas diretrizes do Curso de Pedagogia. Após essas considerações, a Presidente colocou o assunto em votação, lembrando que só os membros na categoria de professor poderiam votar, sendo aprovadas por unanimidade. Em seguida, a Professora Mary Arapiraca  leu o Ofício número 70/2006 expedido pelo Chefe do Departamento de Educação II, Roberto Sanches Rabello, através do qual registra a decisão desse  departamento de aproveitar a vaga do concurso anterior, conforme Edital 01/2005, referente à matéria Didática e Tecnologias Contemporâneas, para a classe de Professor Assistente, regime de trabalho DE, aproveitando a vaga existente com o candidato aprovado em segundo lugar. Para a outra vaga, indicou para concurso a matéria Arte-Educação. Registrou também que, pensando na possibilidade de ausência de inscrição, tendo em vista a carência de doutores na área das Artes, determinando assim a escolha da classe de professor assistente.Postas à discussão, vários questionamentos foram levantados, quando o Professor Roberto Rabello complementou a decisão do Departamento, lembrando a necessidade de ser registrada no Edital sobre o concurso, de os candidatos terem formação específica na área de arte, considerando as suas diversas modalidades – Artes Visuais, Teatro, Dança, Música. Depois das colocações favoráveis e contrárias sobre esta matéria, passando, principalmente pela discussão quanto à demanda da matéria Didática e Tecnologias Contemporâneas, a Presidente encaminhou o processo de votação. Para preenchimento de uma vaga nesta matéria, aproveitando o segundo colocado no concurso realizado em dois mil e cinco, foram registrados sete votos a favor, duas abstenções e uma declaração de voto.Em seguida, foi posta em votação a matéria Arte-Educação, apurando sete votos a favor e dois contra. Continuando a reunião, a Professora Mary Arapiraca leu o Ofício n.10/06, através do qual o Departamento de Educação Física apresentou a matéria Pedagogia da Educação Física, Esporte e Lazer, para preenchimento de uma vaga de Professor Assistente, com regime de trabalho de dedicação exclusiva. Atendendo o pedido de esclarecimento feito pelo Professor José Wellington, o Professor Paulo Roberto Colavolpe defendeu a escolha dizendo que se levou em consideração a reforma curricular e a ampla necessidade pedagógica que a matéria vem cobrir, dando maior amplitude para se trabalhar com várias modalidades, em função da mudança da legislação desde fevereiro de 2004, ajustando ao curso de educação física. Sendo colocada em votação, a matéria foi aprovada por unanimidade. Não havendo mais nada a tratar, a Presidente encerrou a sessão; e eu, Álvaro Cardoso de Souza, secretário desta Congregação, redigi esta Ata, que vai datada e assinada por mim e por todos os membros presentes. Salvador, 26 de abril de dois mil e seis.

Ano: 
Tipo de Documento: 
Descrição : 
Sessão extraordinária da Congregação da Faced.

Ata da reunião de 02/08/2006

Ata da reunião de 02/08/2006
Homologação dos resultados do concurso para docentes – Departamento I

Ata da sessão extraordinária da Congregação da Faced do dia 02 de agosto, para homologação dos resultados do concurso – Departamento de Educação I.

 

Aos dois dias do mês de agosto de dois mil e seis, às dezessete horas, no Auditório I, na presença da Congregação da Faculdade de Educação da UFBA, foi realizada a reunião para homologação dos resultados do concurso público para docentes do Departamento de Educação I - Professor Adjunto (DE). Compuseram a mesa as professoras Regina Maria Filgueiras Antoniazzi (Presidente) UFBA, Éster Maria de Figueiredo Souza (UESB) e Janete Maria Lins Azevedo (UFPE), componentes da Comissão Julgadora. Em seguida, a Professora Regina Antoniazzi iniciou os trabalhos convidando a Professora Éster Figueiredo que leu o parecer referente à candidata Margarida Montejano da Silva, conferindo-lhe notas nos itens do concurso: prova de títulos, prova didática e defesa de memorial. Continuando, as demais integrantes da banca seguiram a mesma sistemática de divulgação dos resultados. Para a prova didática, o ponto sorteado para esta candidata foi o de número nove: “ Educação continuada na perspectiva da reorganização produtiva do capitalismo”. Seguindo a mesma ordem de leitura dos pareceres pelas integrantes da  banca, foram divulgados os resultados referentes à candidata Rosângela Costa Araújo, cujo ponto sorteado foi o de número dez: “ Níveis e modalidades de ensino: organização, políticas e problemas no Brasil contemporâneo”, e da candidata Sandra Maria Marinho Siqueira, que tirou o ponto de número nove: “ Educação continuada na perspectiva da reorganização produtiva do capitalismo”. Em seguida, a Professora Regina Antoniazzi fez a leitura do Relatório Final. Também leu, logo após, o Parecer Final, que divulgou publicamente o nome da Professora Sandra Maria Marinho Siqueira, como a primeira indicada para ocupar a vaga existente no Departamento de Educação I, na matéria Organização da Educação Brasileira e Educação de Jovens e Adultos, para Professor Adjunto, e da Professora Rosângela Costa Araújo, indicada em segundo lugar. Depois, o Professor Nelson De Luca Pretto, diretor da Faculdade e presidente da Congregação, agradeceu à Comissão Julgadora, em nome da direção – Professora Mary Arapiraca e Dinéa Maria Sobral, substituta eventual da vice-direção; parabenizou e deu as boas –vindas à professora indicada para o cargo, que falou da alegria de ter sido escolhida e por ter realizado um sonho, prometendo trabalhar em prol de uma universidade pública de qualidade. Para finalizar, o Professor Nelson Pretto  agradeceu o empenho da Comissão do Concurso – Meire Góes e Álvaro Cardoso. Nada mais havendo a tratar, a reunião foi encerrada, e eu, Álvaro Cardoso de Souza, secretário da Congregação, redigi esta Ata, que depois de lida e aprovada, vai datada e assinada por mim e por todos os presentes. Salvador, 02 de agosto de 2006.

 

Ano: 
Tipo de Documento: 
Descrição : 
Homologação dos resultados do concurso para docentes – Departamento I

Páginas

Subscribe to RSS - Gestão 2004/2008 - Diretor Nelson Pretto e Vice Mary Arapiraca